Publicado por: Evaldo Oliveira | Maio 2, 2015

UMA NOITE TERRÍVEL AO LADO DELA

Logo depois de deitar, iniciou-se uma conversação nada agradável. Somente um lado falava. Calava um pouco, com indícios de momentos de calmaria, mas logo retornava junto ao meu ouvido com o mesmo tom da conversa anterior.

Finalmente, um momento de sono, um pouco de paz. Mas logo ela retornaria com sua ladainha infernal, no limite do insuportável. Desta vez, não acendi a luz. Tentei rechaçá-la na escuridão do quarto. Sempre conseguia se desviar, esgueirando-se para um lado da cama. Cheguei à beira do desequilíbrio.

Pela manhã, não a encontrei no quarto. Deparei-me com ela no banheiro, junto ao espelho, com a cabeça voltada para o vidro. Não sei se realizava um ritual matinal ou se exibia-se depois de me proporcionar uma noite de terror. Aproximei-me sem fazer barulho. Olhei para ela. Cheguei mais perto. De repente, por trás, um bofete seco quebrou o silêncio do quarto, e quase o espelho também, já com respingos de sangue. Machuquei a palma da mão. Acho que exagerei.

Até hoje não sei se era uma muriçoca, um mosquito palha ou um Aedes aegypti fugitivo de algum criadouro clandestino próximo ao meu quintal.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: