Publicado por: Evaldo Oliveira | Março 1, 2014

O VOO E SEUS MISTÉRIOS

Trago comigo a visão quase infinita das veredas

Comigo, a cor das várzeas mais distantes

Conheço, na secura desse chão, o esconderijo das nascentes

Do sol, a lembrança de seus raios no morrer das madrugadas

De Pedrinhas, Casqueira e Ponta do Mel

A visão mais justa, mais real de um bravo povo

Das salinas, o cheiro e a cor inebriantes

Dos raros calangos, o susto e a fuga desabalada

Finjo que perco a busca, ao sabê-los tão escassos.

Já senti de perto a fúria do vento quente em noites de verão

E vi os raios desvirginando a noite que, aflita,

Tentava esconder-se no outro lado do escuro

Da família Scolopacidae, migrei para as praias potiguares

Junto com o tempo, quando ainda novos, eu e ele

Sou um maçarico de várzea, o fiscal alado das falésias.

Maçarico


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: